Too Old To Die Young reabre programação d’O STAND 1.2

notícia

Por: Grua • Imagem: O STAND



“Quando íamos acelerar tivemos de desacelerar”. Num contexto de pandemia mundial, todo o tipo de fruição cultural foi obrigada a abrandar subitamente, no entanto, todos os regressos se afirmam intensamente e o projecto d’O STAND não passa despercebido.

O STAND nasce com “vida dupla”: é um concessionário de automóveis e um espaço de desfrute artístico que recebe e cumpre o desenvolvimento de variados projectos, sempre acompanhado de uma inauguração e, simultaneamente, de encontros e lazer.

O projecto apresenta-nos seis momentos expositivos constituídos por doze artistas, momentos de b2b’s desafiantes, um apelo não só ao conceito de networking – uma conexão criadora de redes de contactos (artísticos, neste caso) –, mas também um estímulo ao formar duplas ditas improváveis numa criação site-specific, para além da não-convencionalidade do espaço em questão.

O STAND 1.2 está de regresso já no dia 30 de Agosto, das 14h às 20h, com Too Old To Die Young, a apresentação da dupla de Henrique Pavão e Horácio Frutuoso, na Avenida General Roçadas, em Lisboa, nunca desconsiderando o cumprimento das normas da DGS.

Com background académico em Artes Plásticas, Horácio Frutuoso “cruza o design gráfico, a produção de imagens digitais e a performance”. Por sua vez, Henrique Pavão, operando também em diversos formatos, utiliza a fotografia, a escultura, o vídeo e a instalação, explorando a ideia da percepção da realidade e de um tempo sobreposto.